Somos assim: somos o que pensamos, o que sentimos...e somos acima de tudo, aquilo em que acreditamos!
Nossos ídolos são nossos espelhos...refletem nossa alma, e nos levam ao encontro de nossos desejos, nossos sonhos, nossas fantasias, nosso eu mais profundo...e nos tornam muitas vezes mais fortes, porque acreditamos neles!
Somos assim: sedentos por nos apaixonar, por acreditar, por nos sentir vivos...e é isso que nos torna seres tão incrivelmente sedutores e apaixonantes!

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

As cores do meu desenho



Pintaram de azul meu infinito,
o espaço onde bato minhas asas,
onde lanço meu grito,
onde me faço, me desfaço, descompasso,
e descanso dos meus fiascos.

Pintaram de rosa minha infância.
Minhas memórias são pink e punk,
infantis e infantes,
fragmentos de instantes, de momentos,
prontamente em posição de sentido!
Ou sem.
Sentido.

Pintaram de marrom o meu chão.
Minha raiz, meu pé, minha diretriz.
Um quase negro, quase escuro, obscuro,
mais vivo do que morto,
mais terra fofa do que cova funda.
Mais chão do que abismo.
Mais eu do que eu mesma.

Pintaram de verde minha esperança.
O verde da minha verdade, que acredita,
o verde da minha saudade, que espera,
o verde que eu quero ver,
antes que de amarelo se pinte,
e deixe de ser.

Pintaram de amarelo o meu sol.
Meus raios, meus fragmentos,
pedaços dos meus ais e lamentos,
amarelo, meu ouro,
amarelo, meu tesouro.
Amarelo de mim, energia cósmica.
Em mim.

Pintaram de vermelho minha paixão.
Pulso que pulsa em mim.
Sangue que ferve, veias que saltam.
Meu carmim.
Fogo, explosão, confusão.
Vermelho tenso, intenso,
vermelho insensato,
vermelho que seduz e induz.
Vermelho de fato.

Pintaram de preto meu pensamento.
Meu tormento e meu desalento,
negros são.
Como negras são as memórias passadas,
da história surrada, das surras levadas,
pela negra verdade,
pelo negro juízo,
do que é negro, sem que negro se pareça.
E, o que de fato negro é,
a pele, a cor, a raça,
maltratos traz de herança, e de graça,
pela negritude cruel da raça.
Humana!

Pintaram de branco minha paz.
Minha fé, meu sossego, minhas vontades,
meus desejos.
Brancas são as manhãs de chuva,
brancos são os dentes entreabertos do contento,
brancos são meus sentimentos.
Puros ou impuros,
livres ou isentos,
mas brancos apenas pela ausência do preto,
pela alva aparência do que em mim se desenha.

E de muitas cores pintaram minha história.
Só esqueceram de colorir minha palidez.
O transparente sem graça do talvez.
O não sei, o quase nada, o mais ou menos,
melhorado, mas nunca acabado.
O inseguro, insensato, inconstante,
o nunca de fato, mas sempre sem razão.
De ser.
Não obstante.


3 comentários:

BLOG DO ZÉ ROBERTO disse...

Quais são as cores da vida? Quais seriam as cores de nossos sentimentos? Que cor teria efetivamente o nosso amor e o nosso ódio? O Branco da alma pura? O preto de um passado obscuro? O verde de uma natureza interior viva? O amarelo de uma mente brilhante? O azul de um pensamento que voa em céu de brigadeiro? As vezes creio que a vida tem mil tons, é multicor, é furta cor, é um arco-íris, são tintas que se espalham em nossa vida, em nossa mente e em nosso coração que de misturam devido a variedade de sensações e sentimentos que vivenciamos no nosso dia a dia. Mas que todas essas cores misturadas não se transformem em preto e sim que possa se transformar numa cor, senão branca, ao menos suave e delicada, a medida que formos aprendendo a viver e a contornar os nossos problemas e as nossas imperfeições morais e espirituais. Monica, que o branco da paz e da harmonia se junte ao vermelho do amor para se transformar na cor rosa, rosa essa que tento materializar agora em pensamento para depositar em seu coração agora minha amiga querida. Deus abençoe você e que sua inspiração, cresça e apareça cada vez mais. Adoro vc!! Beijão!!!!!

Ricardo disse...

Poxa, quanta criatividade nesta obra! Percebo, que das tuas veias saem versos, escritos com a nobreza e a docura do dom da inspiração. Parabéns!
Continue esbaldando-nos com outras tantas.
Beijos.

Carolina disse...

parabéns!!! eu amei cada verso que foi escrito.

faço moda e estilo na UCS - Caxias do Sul-RS
e levei esse texto para minha professora de Estudo da Cor.
Ela AMOU!

Mais uma vez, parabéns, lindo lindo lindo.