Somos assim: somos o que pensamos, o que sentimos...e somos acima de tudo, aquilo em que acreditamos!
Nossos ídolos são nossos espelhos...refletem nossa alma, e nos levam ao encontro de nossos desejos, nossos sonhos, nossas fantasias, nosso eu mais profundo...e nos tornam muitas vezes mais fortes, porque acreditamos neles!
Somos assim: sedentos por nos apaixonar, por acreditar, por nos sentir vivos...e é isso que nos torna seres tão incrivelmente sedutores e apaixonantes!

sexta-feira, 3 de agosto de 2007


Bicho de estimação...vida de dono!

De uns tempos prá cá,troquei a grande caixa preta (TV), pela pequena tela virtual(PC), onde minha participação interativa me permite escolher com liberdade o que ver, fazer, ouvir, ou não. Mas, inevitavelmente, por vezes me deparo com o monstro massificador e formador de opinião(ou deformador?), e acabo vendo o que não quero ver, ouvindo o que não quero ouvir, e não querendo acreditar em muita coisa que se apresenta ali.
Pois bem, ontem esse encontro foi realmente inevitável, e quase inacreditável. Não sei onde, em que programa, nem em que canal, uma matéria sobre animaizinhos de estimação. Até aí tudo bem,a maioria das pessoas têm e amam seus animaizinhos, porém, aqueles eram "animais de estimação exóticos".
Isso mudava tudo, uma porca de 400quilos que entra e sai de casa, toma leite na caixinha, usa lacinho de fita na cabeça e passeia de coleira e correntinha na rua, que meiguice!!! Um galo lindíssimo, que dorme às dez da noite, acorda às nove da manhã, prá não incomodar os vizinhos, come na mão da dona e, pasmem...toma banho de chuveiro,sim, porque na banheira ele se afoga, e ainda recebe após o banho um tratamento especial nos pés, com creme hidratante. Achou demais? E o jacaré que sobe na cama do dono, e ganha bicotinhas naquele bocão????
Não, nada disso, eu me recuso a acreditar em tamanha aberração...puro exagero,truque de marketing.
Tá, eu já tive uma galinha de estimação, o nome era Cocó, uma meiguice, doce, carinhosa, linda mesmo! Ninguém colocava as mãos nela, ou melhor, colocava, prá pegar no colo, ou colocar no puleiro. Certo, ela tinha passagem livre prá dentro de casa, vez ou outra, e tinha a companhia e proteção do outro animalzinho, a cadela que tomava conta dela, como se fosse da sua família. Galináceos e caninos vivendo em plena harmonia. Mas tinha o limite da lógica animal, comia milho e folhas, ciscava no terreiro, dormia no puleiro, era uma galinha, e vivia como tal.
Dei à matéria o mínimo de importância cabível, e deixei de lado uma realidade longe, bem longe da minha.
Longe? Nem tanto.
Hoje, seguindo fielmente as leis do acaso, meu queixo caiu no chão.
Quinta-feira é dia da moça do Yakult,sem querer divulgar o produto, que aliás é caro demais,os genéricos são mais baratos e tão bons quanto. Mas os genéricos não têm moça que vem na porta da minha casa, vender na fichinha, prá pagar depois.
Então, pelo menos uma vez por mês, claro, na única data em que se tem não apenas dívidas, mas algumas divisas,é possível fazer a alegria da molecada que grita feliz "mãe, a moça do iorgute!!!". Como todo bom vendedor, claro que além de muito simpática, ela é também boa de papo. E inteligente, já que usou de uma artimanha prá deixar claro que minha cachorra estava irritando com a balbúrdia que fazia ao vê-la."Acho que a cachorra quer um também!", eu sorrio, sem graça, "que nada, ela é chata mesmo", e ela continua: "Menina, deixa eu te contar...sabe que minha melhor freguesa, gasta comigo R$(tantos reais), só de yakult prá cachorra dela?" Não creio no que ouço, a freguesa dela é minha vizinha de bairro, ali, pertinho de mim, a cachorra toma yakult, a bichinha até conhece o barulho do carrinho da moça, e começa a chorar quando ouve ela chegando. E como se não bastasse, tem uma ordem expressa da dona, que quando não estiver em casa, não pode deixar a pobrezinha chorando, a outra pobrezinha, a moça, tem que "pagar o mico", vendendo yakult prá cadela, para seu carrinho, pega o suquinho e dá prá sua melhor freguesa, e ainda marca na fichinha.
Ai que vontade de perguntar se a ficha era no nome da cachorra.
Então, duvidei, agora não duvido mais, pelo contrário, na próxima encarnação,não sei se isso existe, mas agora eu quero que exista, quero nascer bicho de estimação, de preferência exótico, que é prá garantir as mordomias.


2 comentários:

BLOG DO ZÉ ROBERTO disse...

Eu estava teclando e vendo tv nessa hora que estava passando essa matéria sobre esse mimo aos bichos exóticos. Bom, isso é gente excênctrica na minha opinião e pessoas que tem como gastar e querem mesmo é se mostrar pros amigos, pros vizinhos e nesse caso pro Brasil. Coisa de louco isso, prato cheio pra esses programas de tv no horário matutino principalmente. Sou mais o Eduardo Duzek com aquela canção: "Troque seu cachorro por uma criança pobre..." . Minha cachorra embora seja de raça, come ração quando tem, se não tem...
Enfim, são as aberrações nossas de cada dia. E quanto a nascer um animalzinho exótico de estimação na próxima encarnação, não sei não, eu não queria não, pois essa moda como veio, acaba indo...
Ah, e essa aberração é apenas a ponta do iceberg viu Moniquinha? Beijão linda, bela observação a sua.

Dani(ela) disse...

tudo bem que tem o afeto pelo bicho e tal... mas será que ela pagaria um Yakult para uma criança com fome?

eu não me conformo com essas coisas. quem "marca na listinha", é porque não tem sobrando, e ela mantém uma lista para a cachorra.

se não tivesse escolhido a arte, seria ambientalista.., amo bicho. nasci no dia de São Francisco de Assis, protetor dos animais. tenho verdadeiro respeito e paixão por eles. mas sabe, estão deturpando 'cuidado'...

ai ai...

bjo Menina Sorridente!